Welcome to Toronto

É engraçado como os diferentes destinos chocam comigo, nas situações mais simples do dia-a-dia. Numa das últimas aulas de inglês tivemos um professor novo que tinha vivido grande parte da vida em Toronto, no Canadá. Falamos um pouco sobre a cidade e o país e foi assim que dei por mim a querer saber mais e mais.

Assim no geral, Toronto é a maior cidade do Canadá, é considerada um dos principais centros financeiros e uma das cidades mais multiculturais do mundo, atraindo milhares de imigrantes atualmente. Parecem extremamente evoluídos a quase todos os níveis, apesar de se chamarem torontinos (quem se denomina torontino??).

 Quando comecei esta pesquisa fiquei algo desiludida por não encontrar grandes monumentos que relatassem a história e mostrassem as raízes da cidade. Mas com alguma insistência lá encontrei…e é por aí que começo esta viagem.

Old City Hall
Sim, é verdade. Toronto tem uma Câmara Municipal Antiga…e uma Moderna. Falando da antiga… se bem que aqui o conceito de antiga é apenas relativo uma vez que o edifício tem pouco mais de cem anos (feitos em 1999). Demorou cerca de 20 anos a ser construída e já esteve em vista ser demolida para dar origem a um conjunto de arranha-céus (terá esta gente alguma coisa contra monumentos ou edifícios históricos??). Felizmente ainda se mantém firme e é atualmente a sede das Cortes Municipais de Toronto e recebe alguns espetáculos televisivos.

Casa Loma (“Casa na Colina” em espanhol) é um palacete com ares de Castelo Europeu que é atualmente um dos monumentos mais visitados de Toronto. É uma das maiores residências do Canadá com mais de 90 quartos (Para quê??) mas, curiosamente, nunca foi terminada. O seu proprietário – Sir Henry Pellatt – perdeu o seu monopólio e todos os seus bens foram confiscados, incluindo este belo palacete.
 

Fort York
Toronto é uma cidade moderna mas com fortes raízes num passado histórico bastante rico. O Fort York é um exemplo de como uma cidade cosmopolita pode ter no seu coração uma máquina do tempo que nos transporta até aos séculos XVIII e XIX. O Forte foi construído para  proteger a cidade de possíveis ataques dos EUA e atualmente recebe o Festival da Cerveja de Toronto, um destino bem mais feliz do que ser palco de sangrentas batalhas.
Union Station
A Union Station é a principal estação ferroviária de Toronto e uma das estações mais movimentadas  da cidade, por onde passam diariamente mais de 250 mil pessoas. A sua construção começou em 1914 (em plena escassez de materiais fruto da I Guerra Mundial) mas só foi inaugurada em 1927. Desde a sua inauguração, que contou com a presença do Príncipe de Gales, já recebeu os muitos milhares de imigrantes que chegaram à cidade, tendo inclusivé sobrevivido a um grande incêndio. É uma das testemunhas da ascensão da cidade a grande potência mundial.
O St. Lawrence Market tem mais de 200 anos de história e está localizado numa zona onde antigamente estavam localizadas grandes quintas agrícolas e que era o centro da atividade agropecuária da cidade. Este gigantesco mercado é verdadeiramente surpreendente, quer pelas cores, quer pelas grande variedade de produtos aqui vendido, quer pelas suas especificidades (por exemplo 80% da carne aqui vendida é produzida no estado de Ontário, ao qual pertence Toronto), quer pela sua famosa sandes de bacon (parece que é um dos maiores ex libris da cidade).
The Distillery District está localizado no centro da cidade e foi construído em 1832 e rapidamente se tornou na destilaria The Gooderham and Worts, produzindo cerca de dois milhões de litros de whisky por ano. Esta zona da cidade possui uma das mais bem preservadas coleções da Arquitetura Industrial Vitoriana.
Esta destilaria esteve em funcionamento durante mais de 150 anos e quando encerrou portas nos anos 90 passou a ser local de filmagens para diversos filmes de Hollywood. No entanto, algo de  grandioso estava ainda reservado para esta destilaria. Em 2001 foi iniciado um ambicioso projeto que tinha como objetivo fazer renascer este espaço histórico. Os seus mais de 49 edifícios foram restaurados e foi criada uma “cidade” dedicada às artes, cultura e entretenimento que renasceu das cinzas em 2003. Atualmente é uma das maiores atrações de Toronto.
Saímos agora do passado histórico para a riqueza modernista e cosmopolita da cidade de Toronto. As suas obras modernas são tão ou mais impressionantes que as suas memórias de outros tempos.
CN Tower

Esta já foi, aquando da sua conclusão em 1975, a estrutura mais alta do mundo, com mais de 500 metros de altura. O seu nome vem da companhia ferroviária que a construiu, a Canadian National. Uma das suas maiores curiosidades é o chão em pexiglass transparente com vista até bem cá abaixo. O ponto mais alto na torre a que se pode subir é o Sky Pod localizado a 447 m de altura e este deve ser, provavelmemte, o melhor local para apreciar a vista da cidade. Os mais corajosos podem ainda caminhar no beiral da Torre, o correspondente a 116 andares, apenas presos por um arnês (good luck for that).

A outra grande atração da CN Tower é o restaurante 360 que, como o próprio nome indica, tem uma vista 360º da cidade. Está localizado a 352 metros e entrou no Guiness por ter a maior adega do mundo (claro, tem mais de 500 metros de altura para armazenar vinho). Uma boa refeição por estes lados pode ir algures entre os 50€ e o infinito, dependendo do que se comer e/ou beber mas a vista só por si justifica o valor.

New City Hall
É um excelente exemplo de arquitetura modernista e é, curiosamente, o quarto edifício onde Câmara Municipal de Toronto a ser construído (4!!!). Este veio substituir o “velhinho” e centenário que dei a conhecer mais acima. Está localizada na Nathan Phillips Square e a mim só me ocorrem três palavras para este edifício…”muito à frente”.

 Este é o maior museu do Canadá e um dos 10 maiores no mundo, recebendo por ano mais de 1 milhão de visitantes. Possui uma vasta e rica coleção, com peças e artefatos de todo o mundo – Grécia, Egito, China, Coreia, Japão, etc –  e uma galeria de História Natural com uma das mais célebres coleções pré-históricas do mundo. Inclui um esqueleto de dinossauro completamente montado. 
 A maior curiosidade deste Museu é a conjugação, nas suas fachadas, de diferentes estilos arquitetónicos que acompanham a história do Museu. O ROM (como é localmente conhecido) abriu portas em 1933 e em 2007 recebeu uma nova fachada que parece saída de um filme de ficção científica. Para mim esta misturada fica estranha mas que é diferente é…

   
Allen Lambert Galleria

A Allen Lambert Galleria é conhecida por ser a catedral de cristal do comércio. Foi desenhada pelo nosso bem conhecido arquiteto Santiago Calatrava (responsável pela Estação do Oriente, em Lisboa). É um espaço com seis andares de altura, cuja construção em forma de abobada pretende dar a ideia de uma avenida arborizada. Olhar para cima deve ser absolutamente grandioso com tanto aço e vidro suspensos de forma quase mágica sobre as nossas cabeças. Sem dúvida uma obra fabulosa da arquitetura moderna.

O Rogers Center é o estádio do Toronto Blue Jays Baseball Club e do Toronto Argonauts Football e recebe anualmente a visita de mais de 3,5 milhões de pessoas. Este estádio da era moderna é um dos primeiros a nível mundial com um tecto totalmente retrátil. Em caso de necessidade o teto de 11 mil toneladas é fechado automaticamente em apenas 20 minutos!  O estádio tem capacidade para mais de 50 mil espetadores (fraquinho, fraquinho. O Estádio do Glorioso tem capacidade para 65 mil). 

 

PATH
PATH é uma passagem subterrânea que “desagua” na baixa de Toronto e que conta com 28 quilómetros de lojas, serviços e entretenimento. É a forma mais fácil e à prova do clima de se deslocar por Toronto. Está presente no Guinness Book por ser o maior shopping do Mundo – 28 km de cumprimento e mais de 370 mil metros quadrados (dias e dias de compras me esperavam por estes lados). Tem aproximadamente 1200 lojas e serviços e emprega cerca de 5.000 pessoas. Liga mais de 50 edifícios da cidade, entre eles o Rogers Center e a CN Tower. É uma mini-cidade debaixo da cidade.

Absolute Condos
Duas magnificas e curvilíneas torres de apartamentos localizadas em Mississauga (arrabaldes de Toronto) e que merecem aqui um espacinho, pela irreverência e design supremos. As suas formas são algo único e não é à toa que uma das torres foi chamada de Marilyn Monroe

 
Para terminar deixo duas curiosidades que encontrei pelo caminho e que não podia deixar de referir.
Toronto Neighbourhoods (os bairros)
Os bairros de Toronto são o coração da cidade e cada um tem a sua personalidade e as suas caracteristicas únicas. Passear por aqui é dar de caras com a diversidade cultural que caracteriza Toronto. Existem dezenas de bairros diferentes, alguns deles com nomes tão divertidos como Cabbagetown ou The Beaches. Alguns dos bairros nasceram da forte presença de imigrantes de diversos países e etnias que existe em Toronto – Greek Ville, Little Italy, Corso Itália, Gerrard Índia Bazar, Chinatown e….Portugal Village. Sim, sim também por lá estamos representados… como não?
As abelhas do Fairmont Royal York
O Fairmont Royal York é um hotel em Toronto famoso não pela sua hospitalidade, ou pela qualidade dos quartos, ou do serviço mas porque é o primeiro (se não o único) hotel do mundo a fabricar mel…no seu terraço. Tem uma colmeia com mais de 300 mil abelhas (sim 300.000 não me enganei) que produzem mais de 360 quilos de mel por ano. Não é espetacular??

 E havia muito mais para contar mas haveremos de voltar a Toronto outras vezes. Quero ainda explorar os diferentes bairros, passar pelos museus, passear pela zona ribeirinha e passear de elétrico.

Deixar uma resposta