Memórias da resistência soviética na II Guerra Mundial

Memórias da resistência soviética durante a II Guerra Mundial

1.Hermitage

Durante a II Guerra Mundial o Hermitage esteve sob constante ataque uma vez que os nazista tinham como principal objetivo arrasar com S. Petersburgo (Leningrado na altura). O Hermitage tornou-se um dos símbolos da resistência russa continuando, apesar da morte de muitos dos seus funcionários à fome e da quantidade de neve que se empilhou nos seus corredores

2. Hotel Astoria

O jardim de inverno deste hotel foi o local escolhido por Hitler para celebrar a vitória pela queda de Leningrado. O ditador estava de tal forma certo da sua conquista que já tinha uma data definida (19 de agosto de 1942) e os respetivos convites enviados. No entanto, as suas tropas nunca chegaram a conquistar a cidade e o grande jantar nunca chegou a acontecer.

3. Catedral S. Isaac

A catedral foi bombardeada pela artilharia nazi durante o cerco de Leningrado. Os vestígios destes bombardeamento são ainda visíveis  nas colunas de uma das laterais da catedral, tendo sido assim mantidas como memória da resistência da cidade durante os anos da guerra.

4. Placa do Cerco

Esta placa está localizada na principal avenida da cidade, Nevskiy Prospekt, e foi aqui colocada durante o cerco a que foi sujeita na II Guerra Mundial. Avisava os cidadão russos que o lado da rua onde se encontravam era o mais perigoso durante os ataques de artilharia. Manteve-se até aos dias de hoje como memória dos horrores da IIGM, quando milhões de russos morreram com os ataques, de fome e de frio.

Published by Random Traveler

Olá, o meu nome é Sónia, e quando não estou a viajar, estou a planear a próxima viagem ou a sonhar com mil e um destinos que ainda não conheço. Já visitei 38 países e é nessas viagens que nascem as histórias e imagens que aqui partilho. View more posts

2 thoughts on “Memórias da resistência soviética na II Guerra Mundial

  1. contramapa – Gosto de ler, gosto de escrever e tenho ganho o gosto de viajar. Decidi juntar as histórias acumuladas neste espaço e chamei-lhe Contramapa. Porque nas contracapas dos meus livros existe sempre um mapa, um sítio onde ir, um local a descobrir. Aqui podem conhecer as minhas histórias e viagens em livro aberto. contramapa@gmail.com
    Diana diz:

    A Rússia ainda está na minha lista, principalmente St. Petersburg!

    1. Random Traveler – Portugal – Olá, o meu nome é Sónia, e quando não estou a viajar, estou a planear a próxima viagem ou a sonhar com mil e um destinos que ainda não conheço. Já visitei 38 países e é nessas viagens que nascem as histórias e imagens que aqui partilho.
      Random Traveller diz:

      Recomendo vivamente! Foi dos destinos que mais adorei visitar…

Leave a Reply

Exit mobile version