Granada, séculos de história e tradição

É inegável a presença árabe em Granada, último reduto muçulmano em Espanha. Para isso, basta contemplar à distância o grandioso Alhambra, uma das maiores e mais poderosas construções do mundo. A cidade esteve nas mãos dos árabes entre 711 e o século XVI quando os Reis Católicos Isabel e Fernando aqui se instalaram. Deste período nasce a alcáçova mais imponente do mundo árabe, Alhambra onde os nazarís permaneceram durante mais de 200 anos. Vamos descobrir o que visitar em Granada?

O que visitar em Granada

A chegada dos Reis Católicos levou à transformação das mesquitas em igrejas. É então construída a Catedral e Capela Real, o panteão dos Reis, dois pontos chaves que marcam o centro histórico de Granada. Os dois monumentos confirmam a preferência dos Reis Católicos por esta cidade, fazendo questão de aqui ficarem para a eternidade. A Catedral é o maior símbolo do cristianismo da cidade, concorrendo de forma feroz com as influências árabes até então presentes.

Nas ruas adjacentes é possível encontrar lojas de artesanato, pequenos cafés ou bares de tapas e muita animação. Exceção para as horas de descanso, a seguir ao almoço, quando Granada fecha os olhos para voltar a acordar ainda como mais energia.

Albazín

Saindo do centro, entramos no bairro de Albazín, um dos mais antigos e pitorescos de Granada. Bairro de ruas estreitas e casas típicas com uma beleza e charme inigualável, mantendo-se quase inalterado durante os séculos. Aqui podemos andar horas perdidos nas suas ruas que vão desembocar em Praça amplas e solarengas. Ali é possível descansar a beber uma cerveja e provando umas tapas. Por aqui parece que estamos em qualquer pequena povoação árabe, com lojas de artesanato, especiarias, cafés, cheiros e sabores árabes. O ponto mais visitado do antigo bairro mourisco é o Mirador de San Nicolás – local com vistas deslumbrantes para o Alhambra. Albayzín é património da UNESCO desde 1994.

O que visitar em Granada

Um dos percursos mais emblemáticos para Albayzín é através da Plaza Nueva e percorrendo a Carrera del Darro. Rua de paralelepípedos que serpenteia ao lado do Rio Darro e que nos deixa frente a frente com o Alhambra.

Bairro de Sacromonte

As ruas estreitas de Albayzín levam-nos direto ao coração do Bairro Cigano de Sacromonte. Ali ainda é possível encontrar as típicas casas da gruta, hoje quase todas transformadas em clubes ou cafés. À noite é possível assistir a espetáculos de flamengo nestes locais. No topo do monte (é possível subir a pé ou apanhando um minibus que passa pelo bairro) encontramos a Abadia de Sacromonte. Local com umas das mais fantásticas vistas do Alhambra, da cidade e da Serra Nevada.

Alhambra

Deixo o Alhambra para o fim. Este conjunto de edifícios e jardins é considerado o mais grandioso do mundo. Símbolo de uma Granada moura, cidade de luxo de um mundo árabe que aqui se instalou. Alhambra foi palácio e fortaleza durante séculos, residência dos mais importantes sultões nazarís, bem como a sua respetiva corte e soldados de elite.

Foi construída na colina de terra avermelhada de Sabika, o que lhe valeu o nome de “Castelo construído de terra vermelha” ou Kalat al Hamrá, que depois deu origem a Alhambra.

No complexo é possível visitar o Alcazaba, a zona mais antiga do Alhambra, essencialmente dedicada à vigilância com a Torre do Cubo. É ainda possível visitar o palácio de Charles V, o Generalife, os Palácios Nazari, coração da Alhambra. A Casa dos sultões, os Banhos da Mesquita, os Bosques são outros dos espaços a visitar, todos interligados com água que se pode ouvir a correr pelo complexo.

Published by Random Traveler

Olá, o meu nome é Sónia, e quando não estou a viajar, estou a planear a próxima viagem ou a sonhar com mil e um destinos que ainda não conheço. Já visitei 38 países e é nessas viagens que nascem as histórias e imagens que aqui partilho. View more posts

2 thoughts on “Granada, séculos de história e tradição

  1. Luis Cordeiro – Lisboa – Que dizer de alguém que escreve sobre viagens? Nascido em Lisboa primeira metrópole do Mundo que me apaixonei pela arte de partir e regressar com a bagagem cheia de vivências e experiências. E o que seriam dessas viagens se não as podermos partilhar? Arrumem as bagagens e vamos embarcar na louca aventura que é descobrir o Mundo!
    Luis Cordeiro diz:

    Granada é viajare até às 1001 noites bem pertinho de casa. Adoro essa cidade

Leave a Reply

Exit mobile version