Marraquexe, a colorida cidade vermelha

Marraquexe é conhecida pela cidade vermelha e quando a sobrevoei, prestes a aterrar, percebi rapidamente porquê. Porque é uma cidade a duas cores, como a bandeira do seu país, o vermelho da sua arquitetura, e verde dos olivais, dos pomares de laranja e dos jardins que se espalham um pouco por todo o lado.

Marraquexe, a cidade vermelha

Um oásis entalhado entre o deserto e as montanhas, Marraquexe foi em tempos remotos um centro de comércio para caravanas mas , agora,  é apenas a terceira cidade mais importante de Marrocos a seguir a Rabat e Casablanca.

Marraquexe é conhecida também por monumentos emblemáticos como a Mesquita da Koutoubia, o Palácio Bahia e o Palácio Badii e os Túmulos Saadianos, bem como pela sua movimentada praça Jemaa el-Fnaa, património Mundial da UNESCO. Vamos descobrir os 10 locais a não perder em Marraquexe?

1. Praça Jamaa El Fna

É por aqui que passa toda a animação de Marraquexe. O seu nome significa “Assembleia dos Mortos” porque é proveniente de uma época onde as cabeças dos criminosos eram aqui expostas em espigões. A qualquer hora do dia e à noite aqui encontramos sempre espetáculos de músicos, dançarinos, encantadores de serpentes, domadores de macacos, tatuadoras de henna, vendedores de sumos de laranja e outras especialidades locais, acrobatas, contadores de histórias e os mais inusitados jogos. É esta animação que atrai milhares de pessoas e é aqui que se encontram um grande número de restaurantes e souks.

marraquexe Jamaa El Fna
Marraquexe, a colorida cidade vermelha
Marraquexe, a colorida cidade vermelha

2. Madraça Ben Youssef

A estrutura atual desta escola data de 1570 e é um dos mais impressionantes edifícios da cidade, mas infelizmente estava em renovação e não o conseguimos visitar.

3. Túmulos Saadianos

Este é um espetacular complexo tumular que data do tempo do grande sultão Ahmad al-Mansur Saadi (1578-1603). Os seus jardins guardam dezenas de túmulos de família saadianas e dos seus criados, que ocuparam Marraquexe durante 120 anos, no século XVI e XVII. É por isso, um espaço de reverência mas também de grande tranquilidade.

Marraquexe, a colorida cidade vermelha

4. Mesquita Koutoubia

Este é o local mais famoso é fotografado da cidade, talvez porque a sua enorme torre é visível de quase toda a cidade. É um espaço religioso que só podemos apreciar por fora, pois à semelhança das outras mesquitas da cidade. É visível de quase todos os pontos da cidade, sendo por isso o principal ponto de orientação, principal local de culto da cidade e a mesquita mais antiga. O criador do seu minarete, local onde o muezzin faz a chamadas diárias para a oração, também desenvolveu a famosa torre da Giralda em Sevilha. Cinco vezes ao dia – antes do nascer do sol, hora almoço, meio da tarde, por do sol e ceia – ouvimos do alto dos seus 77 metros de altura o chamamento para a oração.

Marraquexe Koutoubia
marraquexe Koutoubia
Marraquexe, a cidade vermelha

5. Bairro de Mellah

A maioria dos judeus que viviam em Marraquexe partiu para Israel após a II Guerra Mundial. No entanto, as suas memórias e marcas por ali ficaram, naquele que é conhecido como o bairro Judeu. Este Bairro é talvez das zonas mais caóticas da cidade, pois as suas ruas parecem que se cruzam e contracruzam num labirinto que parece não levar a lado nenhum. Os mapas por aqui são completamente inúteis. Com sorte, ou perguntando por aqui e por ali, consegue-se chegar à Sinagoga Salat Al Azama e ao Cemitério Judeu.

6. Palácio Bahia

Foi um dos locais que mais que apaixonou. Palácio de arquitetura árabe-andaluz construído no final do século XIX, é de uma enorme beleza, rodeado por vários jardins e pátios centrais. Algumas das salas tem detalhes preciosos como os seus tectos de madeira talhada e pintados de cores vivas.

Marraquexe, a colorida cidade vermelha
Marraquexe, a cidade vermelha? Daqui parece bem colorida.
Marraquexe, a colorida cidade vermelha

7. Palácio El Badi

Ora aqui está uma história triste. Um antigo e glorioso palácio, de uma riqueza e grandeza insuperáveis, é agora um conjunto triste em ruínas. Datado do século XVI foi construído para assinalar a vitória em Alcácer Quibir, contra os portugueses. A sua construção demorou 25 anos e incluía paredes e tetos encrostados a ouro, uma piscina gigante e um impressionante jardim. Mas, mais tarde, um sultão egoísta e egocêntrico, levou daqui todas as peças e materiais que outrora tinham feito deste palácio um dos mais imponentes do mundo árabe, e deixou um lugar triste e abandonado.

marraquexe

8. Jardins Majorelle

Criados pelo artista Francês Jacques Majorelle e adquiridos depois pelo famoso estilista Yves Saint-Laurent. Aqui podemos encontrar desde uma pequena floresta de bambo, até às mais variadas espécies de catos, de todas as formas e feitios. É um espaço de silêncio, no meio do caos da cidade.

Marraquexe, a colorida cidade vermelha
Marraquexe, a colorida cidade vermelha
Marraquexe, a colorida cidade vermelha
Marraquexe, a cidade vermelha? Really? E estas cores todas

9. Muralhas

As muralhas que circundam a medida datam dos anos 1120s e foram mandados construir como defesa dos povos do Sul, pelo sultão Ali Ben Youssef. Tem 9 m de altura e formam um circuito de 10 km, incluindo 200 torres e 20 portas, onde se destaca a Bab Agnaou, a mais bonita e elaborada.

marraquexe

10. Souks de Marraquexe

Nenhuma viagem a Marraquexe fica completa sem nos perdermos duas ou três vezes nos seus Souks. Porque nestas ruas podem-se encontrar os maiores tesouro, pouco desde artesanato, comida, roupa, perfumes e especiarias. As compras são uma tentação sem fim por aqui, mas nunca se esqueçam de regatear o preço.

Marraquexe, a colorida cidade vermelha
Marraquexe, a colorida cidade vermelha

Guia Prático

Como ir e onde ficar: a viagem pode ser feita de avião e várias companhias têm voos diretos. Para ficar o melhor é escolher um Riad, um pequeno alojamento, mais familiar

Como se deslocar: a pé sempre que possível porque há muito para descobrir pelas ruas, no entanto, existem também outras opções como os táxis ou as caleches que podem levar para os pontos mais afastados, ou caso esteja muito calor para andar.

Moeda: a moeda é o Dirham. 1 € equivale a 11 dirhams.

Idioma: os idiomas oficiais  são o árabe, o berbere e o francês, mas também arranham o espanhol e o inglês.

Melhor altura para visitar: evitar os meses de verão onde as temperaturas podem chegar quase aos 50 graus. Janeiro a abril são bons meses, com temperaturas mais amenas.

Entradas nos monumentos: rondam quase sempre os 10 Dh (1€) e podem ser adquiridas nas entradas dos monumentos.

Outras notas: não beber água da torneira. Optar sempre pela engarrafada.

2 Thoughts

  1. Gostei muito das informações deste post, na sua opinião gostaria de saber se, como vou ficar 4 dias em marraqueixe no próximo mês de Abril, se devo ficar uma noite num dos locais em arredor de marraqueixe. Qual é o raid que aconselha ficar em marraqueixe?

    1. Muito obrigada Mara. Aconselho ficar na zona velha. Vai ficar perto de tudo a pé e conhecer a verdadeira marraquexe. Eu fiquei no Riad Alamir e gostei bastante mas na zona velha encontra vários muito engraçados e com bons preços

Deixar uma resposta