Belgrado, a Fénix Branca

Belgrado, a Fénix Branca.png

Belgrado é a capital da Servia desde 1840 e éuma das cidades mais antigas da Europa. Conhecida como a “cidade branca” ou a “Fenix Branca, devido à sua atribulada história, tendo sido alvo de 115 guerras e arrasada 44 vezes.

A sua localização estratégica, na confluência de dois rios, Sava e Danúbio, deixou-a encurralada no cruzamento da Europa Ocidental. Não existiu povo conquistador ou império que por aqui não tenha passado como os celtas, os romanos, os visigodos, os hunos, os otomanos e os Impérios Otomano e Austro-húngaro. Mas Belgrado conseguiu reerguer-se sempre.

Belgrado não é uma cidade bonitinha, nem pretende ser. É orgulhosa e moderna e uma mistura de influências culturais e históricas. Todas as civilizações que ao longo dos séculos por ali passaram deixaram suas marcas: blocos socialistas lado a lado com obras-primas Art Nouveau, obras do legado dos Habsburg contrastam com relíquias otomanas e romanas. Nos dias que corre pretende apenas esquecer e fazer esquecer a sua história atribulada e abrir caminho para um futuro glorioso.

Qualquer visita à cidade começa normalmente pela Knez Mihailova, uma animada avenida pedestre ladeada por edifícios históricos e que nos leva em direção à antiga fortaleza de Belgrado, um dos pontos mais estratégicos do Sudeste da Europa.

Construída na confluência dos dois rios, foi destruída e reconstruída mais de 40 vezes ao longo de 16 séculos, mas permanece até hoje símbolo da capital da Sérvia. Conhecer a sua história fortaleza significa conhecer a história do povo sérvio. As suas fortificações datam dos tempos celtas, mas os seus diferentes conquistadores ali deixaram a sua marca ao longo dos séculos.

20190721_Belgrado117.jpg

A sua atribulada história é hoje esquecida pelo imenso parque que ali nasceu, pelas vistas e pelas inúmeras feiras e festas que aqui tem lugar anualmente. É um dos lugares mais populares da cidade e um espaço privilegiado para descansar, namorar, passear, fazer um picnic ou até para um romântico pedido de casamento (no local onde se avista o abraço entre o Salva e o Danúbio).

20190721_Belgrado4

20190721_Belgrado5

Aqui pode também ser encontrado o monumento “Victor” – o vencedor que supervisiona os rios e guarda as suas margens. A enorme escultura de bronze de um homem nu que segura a pomba da paz foi desenhada para ser parte da fonte que se encontra em frente ao hotel Moska, a mais antiga da cidade, passando assim a ser a joia da coroação da capital da Sérvia. A fonte permaneceu inacabada uma vez que a estátua foi considerada demasiado nua para figurar no centro da cidade, numa zona tão nobre. Passou assim para a fortaleza onde disfruta de uma vista maravilhosa, tornando-se assim o símbolo mais conhecido da Sérvia em todo o mundo.

20190721_Belgrado6.jpg

Outro ponto de passagem obrigatório, sobretudo à noite, é Skadarlija, a rua Boémia. Tem apenas cerca de 400 metros de comprimento e está rodeada de cafés, bares e restaurantes, onde se pode desfrutar das especialidades da cozinha nacional e ouvir música tradicional servia até o amanhecer nas famosas kafanas (tradicionais tabernas sérvias).

20190721_Belgrado116

20190721_Belgrado115

A primeira kafana da Europa foi inaugurada há mais de 400 anos em Belgrado, onde se transformou, de uma simples cafeteria, no centro da vida quotidiana. O nome apareceu apenas em 1738 com os turcos e rapidamente se tornaram o centro da vida cultural, económica, social e política da cidade. As kafanas eram um lugar de diversão e trabalho, vício e paixão, maquinações e politiquices. Era nas kafanas que tinham lugar peças teatrais e concertos, que se realizam as reuniões dos partidos políticos, das Guildas, e da Assembleia Nacional, local onde os jornalistas escreviam as suas notícias e onde os poetas escreviam os seus poemas. A mais famosa kafana em atividade da cidade é em si uma lenda. Pequena e encantadora, tem a tradicional banda de música ao vivo e foi construída ao estilo tradicional dos Balcãs no início do século XIX, mesmo em frente à Catedral. Colecionou vários nomes ao longo dos anos, pelo que passou apenas a ser, ser conhecida como Kod Saborne crkve (junto à Catedral), nome foi obviamente mal recebido e rapidamente proibido pelas autoridades religiosas. O espaço passou então a chamar-se, provisoriamente de “?” (Ponto de Interrogação). O nome permanece hoje. As kafanas são muito populares na Sérvia, são excelentes locais para provar a comida local e ouvir boa música tradicional.

20190721_Belgrado2

Em frente do “Ponto de Interrogação” encontramos a Catedral Ortodoxa de Belgrado, responsável, como já vimos, pelo nome atual da velha Kafana. A Catedral foi dedicada ao Arcanjo Miguel e é uma mistura de estilos barroco e neoclássico. No seu interior estão as ossadas do Príncipe Lazar morto na batalha do Kosovo em 1389 que acabou sem vencedores, mas a partir da qual, o Kosovo passou a assumir uma importância fulcral para a consciência nacional da Servia. Próximo da catedral, encontra-se a antiga residência real, um excelente exemplo que sobreviveu ao longo dos seculos, da arquitetura servia-otomana, o Palácio da Princesa Ljubica.

20190721_Belgrado3

20190721_Belgrado15

Mais afastada do centro, mas com lugar de destaque, encontramos Sveti Sava, a maior igreja ortodoxa do mundo. A sua construção começou em 1930, no local onde os turcos, alegadamente, queimaram relíquias de São Sava, com o objetivo de quebrar o espírito sérvio.

O trabalho no interior da igreja (frequentemente interrompido por guerras) continua até hoje, podendo apenas ser visitada a cripta dourada, decorada com deslumbrantes lustres ornamentados, mosaicos de vidro de Murano e afrescos vibrantes. A enorme e deslumbrante cripta deixa antever a grandiosidade da cúpula ainda construção que será adornada com um mosaico de 1248 metros quadrados, um dos maiores do mundo em uma superfície curva. Está previsto que o trabalho termine em 2020.

20190721_Belgrado8

20190721_Belgrado9

A Igreja de São Sava é não só a maior igreja ortodoxa Sérvia, mas também o maior local de culto ortodoxo nos Balcãs e uma das maiores igrejas ortodoxas do mundo. É o edifício mais monumental em Belgrado, visível a partir de qualquer entrada na cidade, e o pilar da fé na Sérvia, representando um farol de fé, espiritualidade, cultura e liberdade.

Alguns números que testemunham a sua magnitude absoluta: a sua altura total atinge os 82 m com a cúpula e a sua Cruz banhada a ouro, que lhe dão adicionais 12 m de altura, a cúpula central pesa 4.000 tonelada e o seu içamento foi a maior conquista do processo de construção, tem mais de 49 sinos nas torres, que tocam diariamente anunciando o meio-dia, e 18 cruzes chapeadas a ouro nas suas abóbadas, tem uma superfície de 3.500 m2 no piso térreo e pode receber 10.000 pessoas, tem também quatro galerias de 1.720 m2 no primeiro e segundo andar e o exterior é coberto com mármore branco e granito.

Antes de voltarmos ao centro histórico passamos ainda pelo Ministério da defesa da Jugoslávia e pela sede da Radio e Televisão Servia, duas ruínas dramática, memoria do bombardeamento da NATO de 1999.Estes bombardeamentos tinham como objetivo terminar com a Guerra do Kosovo, onde decorriam “alegadas” limpezas étnicas de albaneses na região. Na cidade outros exemplos destes bombardeamentos que foram mantidos em ruínas como memória desses bombardeamentos. No caso da estação de televisão, foi construído no local um novo prédio, deixando as ruínas do bombardeado. Junto da destruída estação de televisão, no parque Tašmajdan, foi criado um monumento de homenagem às vítimas denominado “Porquê?” que inclui nomes, idades e descrições de funções de cada pessoa morta no ataque. Na parte inferior do memorial, há uma foto do prédio tirada logo após o ataque, durante as operações de resgate. Nas imediações do monumento, podemos encontrar a mais antiga igreja ortodoxa russa da Servia, também atingida no ataque à televisão.

20190721_Belgrado11

20190721_Belgrado12

20190721_Belgrado19

20190721_Belgrado111

Voltamos ao centro histórico, passando pelo mais emblemático e luxuoso hotel da cidade, o Hotel Moskva. Situado na Praça Terazije, na intersecção de três ruas do centro de Belgrado, é um símbolo orgulhoso da cidade e um dos marcos mais reconhecíveis e um valioso monumento arquitetónico. Albert Einstein, Alfred Hitchcock, Richard Nixon, Luciano Pavarotti são apenas alguns dos grandes nomes que visitaram e aqui ficaram hospedados. Entre os hospedes mais importantes do Hotel Moskva destacam-se também grandes escritores como Jean-Paul Sartre, Orson Welles, Maxim Gorky e muitos outros. Além de ser uma referência local tem algumas curiosidades que fazem dele um espaço único. Por exemplo, nos últimos 100 anos teve mais de 36 milhões visitantes, é o único hotel em Belgrado que não tem quarto ou apartamento com o número 13, durante a segunda guerra mundial, foi a sede da Gestapo e em 1974, o restaurante do Hotel introduziu o “Moskva šnit” bolo que se tornou a primeira marca “doce” de Belgrado.

20190721_Belgrado13.jpg

Outros locais a não perder:

Localizada no parque Tašmajdan encontramos uma das mais belas igrejas da cidade, a Igreja de S. Marcos. Igreja ortodoxa de arquitetura medieval, construída no estilo servo-bizantino em 1940. É uma das maiores igrejas do país e foi construída no período entre as duas grandes guerras entre 1931 e 1940, no centro de Belgrado. Foi construída no local de uma antiga igreja de madeira do século XIX que foi destruída em 1941.

O Museu de Nikola Tesla dedicado ao genio da engenharia com o mesmo nome, nascido na croacia mas filho de pais servios. O seu museu informações sobre a sua vida e as suas criações. É o museu ideal para quem gosta de peças itech. O monumento a Nikola Tesla foi erguido em 1963 em frente à Universidade Técnica. As suas invenções contribuíram para o desenvolvimento da civilização, sendo o autor de quase 1.000 patentes e distinto inventor da eletricidade.

20190721_Belgrado112.jpg

Zemun, bairro ribeirinho de Belgrado onde ainda e possível encontrar a autenticidade local e apreciar o passado da cidade. E um dos bairros mais carismáticos de Belgrado. Há muito tempo, começou por ser um campo de batalha do Império austríaco e otomano até 1717, durante o reinado turco e, de seguida, tornou-se uma parte da Áustria. Quando passou finalmente para a ser uma parte de Belgrado ficou conhecida como a mais bonita cidade fronteiriça com a Áustria. Hoje, é a parte mais bonita de Belgrado e seu coração histórico. Por aqui ainda podemos encontrar Fachadas rústicas, ruas de paralelepípedos e arquitetura que “cheira” do passado. Tudo isso dá um charme especial a este bairro localizado na margem direita do Danúbio. Dar um passeio por Zemun pelas suas ruas de paralelepípedos significa entrar num passado histórico e algo turbulento.

20190721_Belgrado113.jpg

Guia de Viagem:

Como se deslocar: a zona central de Belgrado é facilmente explorada a pé, ao longo da Knez Mihailova, a principal rua pedonal que liga o centro à fortaleza. Algumas locais que possam ficar mais longe são facilmente alcançáveis de táxi ou transportes públicos – autocarro ou elétrico. Conduzir na cidade só mesmo para quem tenha muita segurança. O transito é caótico e os locais conduzem de forma pouco segura.

Como chegar: Pode chegar a Belgrado de avião, comboio, autocarro, carro e navio. A companhia aérea nacional Air Serbia, assim como muitas companhias aéreas internacionais têm vôos regulares para muitos destinos mundiais, a partir do aeroporto “Nikola Tesla”

Moeda: A moeda servia é o dinar (RSD) e pode ser trocado no aeroporto ou casas de cambio local, ou mais fácil ainda, levantado em qualquer ATM na cidade.

Língua: O Sérvio é uma língua eslava, muito próxima do Bósnio e do Croata. O alfabeto é normalmente o cirílico, mas não se preocupe que todas as direções estão também em latim.

Onde comer: as kafanas são os melhores locais para provar a típica comida local. A Question Mark é um pouco turística, mas tem refeições caseiras. Recomendo ainda a Zlatni Bokal e Dva Jelena, com comida tradicional deliciosa e boa musica ao jantar.

O que comer & beber: Ćevapčići, uma a salsicha sem pele e cheia de sabor, servida num pão achatado com uma cebola; Pljeskavica, é uma espécie de hambúrguer gigante espalmado, grelhado, absolutamente delicioso; Gibanica, uma tarte de queijo deliciosa feita de camadas de massa fina com queijo e ovo; Tufahija, para os gulosos, maçã com recheio de noz e açúcar, coberta com creme de claras. Rakija, a bebida mais conhecida da sérvia, uma aguardente forte cujo teor alcoólico varia entre 30% e 40%, mas em alguns destiladores privados pode chegar aos 50%. Beber com moderação 😊.

20190721_Belgrado7

20190721_Belgrado114

Belgrado não é definitivamente uma ” cidade bonita”, mas a sua história e vitalidade torna-a numa das cidades mais interessantes da Europa, para visitar neste momento.

Venha a Belgrado e diga Zdravo (Olá) ou melhor ainda, živeli (Cheers)!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.