Ljubljana, a cidade verde

Com uma população de 300.000 habitantes Ljubljana é uma das menores capitais da Europa, mas é a maior cidade da Eslovénia e também a sua capital. Ljubljana é uma a cidade pitoresca e encantadora e uma das capitais mais verdes da Europa, conseguindo esse feito notável de ter resíduos zero, tráfego de carros restrito, deixando as ruas para os peões e criando pistas para ciclistas. É uma cidade que valoriza a habitabilidade e a sustentabilidade em relação ao crescimento. Essa sensibilidade em relação ao meio ambiente deriva provavelmente do facto de a Eslovénia ser um dos países “mais verdes” do mundo, com mais de metade de sua área total coberta por florestas.

Para além de uma cidade verde, Ljubljana é também uma cidade única e sedutora. O rio Ljubljanica separa a parte mais antiga da cidade, com os mais importantes edifícios históricos, como o Castelo, Igrejas góticas, palácios barrocos, da margem direita onde podemos encontrar a ‘nova Ljubljana, com os seus museus e edifícios art nouveau.

Vamos então partir a descoberta desta cidade de conto de fadas.

A maneira mais fácil de ver Ljubljana é a pé. A cidade não tem atrações mundialmente famosas, o que permite deambular pelas ruas e descobrir edifícios históricos, praças, palácios, igrejas e pontes. Jože Plečnik, o seu mais conceituado arquitecto, deixou a sua marca de forma profunda na cidade, enfeitando Ljubljana com as mais belas obras de arte.

É na praça principal, Prešernov trg, que bate o coração da cidade. Esta pequena mas movimentada praça tem como principal atração a Igreja Franciscana, cuja sua beleza e cor rosa-salmão, não deixam ninguém indiferente. No centro da Praça encontramos o Monumento de homenagem a France Prešeren, o mais conhecido poeta da Eslovénia, cujos versos patrióticos foram centrais para o desenvolvimento da consciência nacional. A estátua é coroada pela sua musa inspiradora e os olhos do poeta estão virados para a janela do prédio onde vivia a sua amada (que se pode ver seguido o olhar do poeta, num edifício do outro lado da praça), cujo amor nunca chegou a conquistar.

Nesta praça encontra-se ainda o magnífico edifício da Galerija Emporium, uma galeria comercial coroada com a estatua de Mercúrio, o deus Romano do Comércio, construída em 1903. Saímos desta praça pela emblemática Ponte Tripla, obra de Plečnik. Consiste em três pontes separadas, construídas umas ao lado das outras. As duas pontes nas laterais foram construídas na década de 1930, com o crescimento da cidade, a ponte do meio é a ponte original construída em 1842.

Atravessamos o rio Ljubljanica e encontramos-nos agora no coração da Cidade Velha, onde vemos à direita, o Mercado Central, a Catedral de São Nicolau e a Ponte do Dragão e à esquerda, a fonte dos Três Rios e a Câmara Municipal. A Cidade Velha está comprimida entre a colina do castelo e o rio Ljubljanica, tem uma rua principal e duas praças emblemáticas Mestni trg e a Gornji trg. Pela rua principal podemos ver edifícios medievais extremamente bem preservados que abrigam lojas de designers locais e vários cafés e restaurantes populares.

A Catedral S. Nicolau data do início do século XVIII. As suas portas de bronze são hoje um dos principais motivos de interesse, decoradas com cenas da história eslovena. Foram criadas em 1996 para comemorar a visita do Papa João Paulo II a Ljubljana. A catedral barroca é dedicada a São Nicolau, padroeiro dos pescadores e marinheiros. Mesmo em frente encontramos a Ponte do Dragão, concluída em 1901, é guardada por quatro estátuas de dragão inspiradas no brasão da cidade, guardiões da cidade. Logo ao lado, o Mercado Central corre ao longo da margem curvilínea do rio, entre as Três Pontes e a Ponte do Dragão. É caracterizado pela sua longa fila de colunas, uma estrutura de inspiração clássica, também construída por Plečnik em 1942 para fornecer abrigo a uma fila de bancas de produtos mais delicados. Construído na margem do rio, o andar inferior da colunata abriga um mercado de peixe. Fora da colunata, há barracas que vendem souvenirs, ervas e os mais diversos alimentos locais como mel, frutas e verduras. Do lado oposto, junto ao magnífico edifício da Câmara Municipal, a Fonte dos Três Rios, concluída em 1751, simboliza os três principais rios da Eslovénia.

Quer se caminhe pela rua principal, quer junto ao rio é possível encontrar as mais diversas surpresas. Um desses exemplos é o edifício da Biblioteca Nacional e Universitária, mais uma das obras de Plečnik, concluída em 1941. Olhando mais atentamente podemos observar que as janelas só podia pertencer a uma biblioteca, sendo curiosamente semelhantes a livros abertos.

Agora que já navegamos um pouco pelas suas é altura de subir ao Castelo para uma vista panorâmica da cidade. Subimos assim ao imponente Castelo de Ljubljana. Um teleférico localizado na Praça Krekov é a forma mais fácil de o fazer. Lá em cima, além da visita aos diferentes espaços, o local mais procurado é a torre do Relógio, uma torre de vigia do século XIX que oferece uma vista maravilhosa da cidade, onde se podem avistar as Montanhas Karavanke, o Rio Sava e os Alpes Kamnik à distância.

Volta do à zona baixa, passamos passamos ainda por diferentes locais de interesse, como os diferentes museus e a Opera, localizados na zona nova da cidade, e a Praça da República. Esta praça tem representado uma importância significativa para a história eslovena. Local de importantes reuniões públicas e manifestações foi também o local onde a população se reuniu quando a Eslovénia anunciou sua independência da Jugoslávia em 1991. Nesta Praça encontra-se o Parlamento esloveno, com a sua fachada decorada com estátuas nuas artísticas de eslovenos em trabalho e lazer, e o Centro Internacional de Negócios.

Guia Prático

Como se deslocar: Ljubljana é pequena e não tem trânsito automóvel, pelo menos na zona histórica, pelo que é fácil fazer tudo a pé.

Onde e o que comer: para provar A comida local o Gostilna Sokol é uma boa opção. Um pouco turístico, mas a comida é deliciosa e o preço acessível. A experimentar: a sopa de cogumelos e a sopa de cebola, servidas no pão, o estudado de vitela, a Salsicha frita com chucrute e nabo e a tábua de frios que inclui presunto, pancetta, presunto local de veado, pate de frango e de veado, diferentes tipos de queijo nacional e azeitonas.

Para um pouco de comida italiana, a pizzeria Ljubljanski Dvor é uma boa opção, com comida saborosa e bons preços. Se o tempo ajudar a esplanada exterior é muito agradável.

Existem várias delícias locais que não pode deixar de experimentar: a Kranjska klobasa, salsicha de carne de porco geralmente acompanhada de chucrute, mostarda e rábano; o presunto d caça e a panceta, os ensopados e as sopas (mesmo no verão) e, para sobremesa, a prekmurska gibanica, a mais famosa e popular pastelaria eslovena feita de várias camadas de recheios (maçã, nozes, queijo e sementes de papoila) e o bolo de Creme, uma base de massa folhada fina e crocante, coberta de uma espessa camada de creme de leite e uma camada ainda mais espessa de chantilly, no topo, fecha com mais uma camada de massa folhada.

One thought on “Ljubljana, a cidade verde

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.