Luang Prabang: 11 experiências a não perder

A cidade de Luang Prabang, situada no norte do Laos, foi classificada como Património Mundial pela UNESCO em 1995. Está aninhada entre montanhas verdejantes nas margens do Mekong, a 700 metros acima do nível do mar e na a confluência dos rios Nam Khan e Mekong.

Luang Prabang_ 11 experiências a não perder.png

Luang Prabang é a antiga capital real do Laos. Embora a capital administrativa do país tenha sido transferida para Vientiane em 1545, a realeza do Laos continuou a residir ali até ao regime comunista se instalar em 1975. Durante este período, a cidade mergulhou em pleno regime comunista, do qual só conseguiu sair após a queda do Bloco Soviético nos anos 90. É uma cidade cheia de charme devido à sua beleza natural, aos seus muitos wats e à genuinidade que consegue manter apesar do turismo. É uma cidade de contrastes onde a cultura local se mistura com a herança colonial, onde as tradições convivem com o turismo de uma forma mais ou menos harmoniosa. Os habitantes locais continuam um estilo de vida tradicional, com agricultura e comércio de pequena escala, sendo dois dos principais métodos de ganhar a vida.

A cidade é pequena e tranquila, ideal para conhecer a pé, uma boa maneira de absorver os arredores e observar os costumes do povo do Laos. As suas principais atrações incluem mais de 30 wats, o centro urbano tradicional e de inspiração colonial, a zona rural circundante, onde se encontram vários templos rústicos e cascatas com águas de cores arrebatadoras.

1.Subir ao Monte Phousi e apreciar as melhores vistas da cidade
Ergue-se150 metros acima da cidade, mesmo no centro, é um dos postais mais emblemáticos de Luang Prabang. Do seu do cume pode-se desfrutar da mais espetacular vista da cidade e da paisagem circundante e das montanhas envolventes. Subir até ao topo é subir os 355 degraus da escadaria de Thanon Phousi que ziguezagueiam até lá acima. Pelo caminho encontra-se o Wat Tham Phousi, que cuja fachada é admirável, coberta de pequenos vidros coloridos. No topo pode-se visitar o Wat Chomsi.

LP - Monte Phousi .jpg

2. Passear nos jardins do Palácio Real
Situado na principal avenida de Luang Prabang o Palácio Real, agora Museu, é um edifício imponente e os seus jardins são o local ideal para descansar e passear. construído em 1904. Quando os comunistas chegaram ao poder em 1975, assumiram o palácio e expulsaram a família real. No complexo do Palácio encontra-se ainda um dos mais espetaculares Wats da cidade, Wat Ho Pha Bang.

LP - Royal Palace

3. Percorrer o Mercado dos Frescos e ficar a conhecer os produtos locais
Os mercados são sempre os meus locais preferidos. Aqui é onde podemos encontrar a genuinidade da cultura local e descobrir os mais variados produtos, muitos deles identificáveis. Em Luang Prabang situa-se numa estreita rua, onde de ambos os lados podemos encontrar frutas, legumes, carne e peixe locais e também as mais variadas “iguarias”.

LP - Market.jpg

4. Ser feliz no Mercado Noturno
O mercado noturno em Luang Prabang é uma verdadeira perdição de produtos artesanais e comida de rua local. Aqui podemos encontrar as mais variadas peças de artesanato feitas à mão. O Mercado é também o melhor local para provar a comida local, desde as mais deliciosas sopas de noodles, aos grelhados e às sobremesas com e sem coco. Local de passagem obrigatório e indispensável.

LP - Night Market.jpg

5. Deambular sem rumo no Distrito de Chompet
A travessia é única, a bordo daquilo que eles chamam um ferry mas que não passa de uma barcaça onde carros, motas e pessoas se aconchegam como podem para cruzar o Mekong. Do outro lado, atravessamos o pequeno bairro de Chompet. Por aqui reina a calma e a tranquilidade e é possível apreciar o verdadeiro modo de vida local. Seguindo pela rua principal chegamos ao Wat Chompet, localizado no topo da colina, onde este bairro se instalou. O templo é pequeno e modesto, mas a vista lá de cima é fabulosa e é um excelente de meditação.

LP - Ferry 1.jpgLP - ChompetLP - Wat Chompet

6. Atravessar as Pontes de Bamboo
Após a época das chuvas são anualmente construídas duas pontes de bambu que permitem os habitantes atravessar da cidade velha para outras zonas da cidade, cortadas pelo rio. A ponte é feita inteiramente de bambu por famílias locais e é completamente desmontada e reconstruída novamente a cada ano para evitar sua destruição durante a estação chuvosa. A sua travessia faz-nos sentir o Indiana Jones nas grandes cruzadas. As pontes são bastante seguras, apesar de gemerem e rangerem durante toda a travessia. No final de uma das pontes encontra-se o restaurante Dyen Sabay, um espaço engraçado, que parece construído como uma casa na arvore e onde se pode almoçar e jantar, ou apenas beber um chá a meio da tarde, numa atmosfera única e exótica.

LP - Ponte BambooLP - Ponte Bamboo2

7. Conhecer os templos
Existem dezenas de complexos de templos pela cidade, uns mais modestos outros mais opulentos, cobertos de ouro e mosaicos intricados.

LP - TemplesLP - Temples1

8. Assistir às suas tradições religiosas com respeito
Luang Prabang é o local perfeito para a contemplação espiritual. Ao final da tarde é possível assistir às orações dos monges em alguns dos templos da cidade. No entanto, a discrição e o respeito são fundamentais. Silencio, entrar descalço e de corpo coberto e respeitar a cerimónia são fundamentais.

Já a cerimónia matinal do alms giving, é um momento de grande importância local e uma tradição de longa data na cultura budista do Laos. O Sai Bat como é denominada localmente consiste na oferenda de comida aos monges todas as manhãs, sendo esta a unica forma de alimentação que estes têm. Todas as manhãs, à medida que o sol nasce, monges e noviços saem às ruas com as suas tigelas (‘bat’) e os fiéis colocam ali uma porção de comida, normalmente arroz.

Nos últimos anos, com o aumento do turismo na cidade, esta cerimónia tem sido frequentemente desrespeitada e transformada numa efeméride para turistas. Quem quiser participar, o melhor comprar arroz, vestir-se adequadamente (ombros, peitos e pernas devem ser cobertos), não fazer contato físico com os monges e nunca siga a procissão. Para quem apenas quer assistir é fundamental não ficar muito perto dos monges, tirar fotos de forma discreta e sem flashes e, mais uma vez, não seguir a procissão. A melhor maneira de desfrutar do ritual é sentar-se no lado oposto da rua e apreciar em silencio.

LP - Alms Giving

9. Relaxar no Utopia ou no Dyen Sabay
São dois locais emblemáticos da cidade. O Utopia é um bar meio escondido no centro da cidade antiga, com diferentes espaços, um dos quais com vista para o rio, onde durante o dia é possível relaxar e durante a noite beber um copo e ter alguma diversão.
O Dyen Sabay é o restaurante que já mencionei acima e que é também um espaço muito engraçado para relaxar, beber um chá ou uma cerveja local e desfrutar do silencio.

LP - Dyen Sabay.jpg

10. Mergulhar nas Cascatas Tat Kuang Si
As cascatas de Kuang Si são um dos locais fora da cidade a visitar. A sua beleza natural e a cor das suas águas são inesquecíveis. É o local ideal para quem gosta de trekking, podendo subir ao topo das cascatas, ou para quem gosta apenas de desfrutar de um simples passeio pelo bosque. Tudo isto complementado por piscinas naturais, de águas gélidas, mas de cores deslumbrantes. Para lá chegar pode alugar um Tuk Tuk ou uma carrinha na cidade. A viagem é de cerca de 1 hora.

LP - Cascatas Tat Kuang Si.jpgLP - Cascatas Tat Kuang Si1

11. Aprender a cozinhar comida local
A melhor escola de culinária local, segundo dizem, é a do Restaurante Tamarind. A aula tem local numa quinta a cerva de 30 minutos da cidade, é um espaço acolhedor, ao lado de um pequeno lago, e onde tudo está preparado para termos uma experiência única na cozinha e sabores locais. A aula do dia inclui uma viagem ao mercado local para descobrir (e provar) alguns produtos/ingredientes locais. Durante o curso, alguns dos pratos que cozinhados são mok pa (peixe cozido ao vapor em folhas de bananeira), a tradicional salada de búfalo, o sticky rice. No final, todos comem os pratos que prepararam, trocando experiências e conhecimentos.

LP - Cooking Class1.jpgLP - Cooking Class

Guia de Viagem
Como ir: De avião. Existem diversas hipóteses de voos com as mais diferentes escalas. Eu pessoalmente pesquiso aqui e aqui e depois faço as marcações conforme os preços

Melhor época para visitar: A melhor época para visitar Luang Prabang é entre outubro e fevereiro, que é quando o clima está mais agradável, mais fresco durante o dia para passear e com menos probabilidade de chuvas.

Visto: O Visto para o Laos poderá ser obtido à chegada ao país nos principais aeroportos e pontos de entrada internacionais. O que é necessário: Passaporte com validade superior a 6 meses, uma foto (se não levar eles digitalizam do passaporte por mais USD 1 e USD 30 de taxa.

Moeda: A moeda oficial é o Kip (LAK).

O que não fazer:

Não andar de elefante – Andar de elefante parece um belo momento de diversão e de contacto com a cultura local, mas não passa de tortura para com esses animais. As condições a que são submetidos é menos que medíocre e muitos são torturados para cumprir ordens.

Não desrespeitar as tradições e momentos religiosos – Cumpram-se nas visitas aos templos, respeitem com silencio e vestuário apropriado as cerimónias nos templos e sigam as regras na cerimónia de alms giving.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.