Dicas para uma escapadela pela Bélgica e Luxemburgo

Capa_post

A Bélgica e o Luxemburgo são dois países únicos, com uma história e cultura riquíssima, já para não falar que são o centro e o ponto de origem da União Europeia. Por este motivo são dois destinos a incluir na lista de must see, apesar de serem conotados como sem graça, cinzentos e com pouco para ver.

São também dois países pequenos que se podem conhecer em poucos dias. Deixo abaixo um roteiro possível para 5/6 dias de visita e que permite conhecer as principais cidades:

Dia 1 (chegada): Bruxelas (arredores)
Dia 2: Bruges (tivemos que fazer uma ligeira alteração devido greve geral)
Dia 3: Bruxelas
Dia 4: Gand e como chegamos cedo ainda foi possível dar mais uma volta pelos arredores de Bruxelas
Dia 5: Antuérpia e no regresso a Bruxelas ainda fomos ao Museu da BD
Dia 6: Luxemburgo

Compilei também um conjunto de outras dicas que acho que são sempre úteis para quem parte à descoberta de um novo destino. Espero que sejam ajudem.

Conhecer e descobrir:

Para  conhecer as diferentes cidades por onde passamos o melhor é sempre andar pé. Para viagens um pouco mais longas, por exemplo para o Atomium ou a Igreja do Sacre Cour em Bruxelas, o metro é a melhor opção.

Deslocações entre cidades:

Durante os seis dias de viagem conseguimos ir a Bruges, Gand, Antuérpia e Luxemburgo, todas as ligações feitas de comboio. Tirando a viagem ao Luxemburgo, que leva cerca de 3 horas, as outras foram relativamente curtas. Bruxelas a Bruges e Antuérpia leva cerca de 1 hora e para Gand são uns meros 30/40 minutos.

Comboios, preços e horários:

Dentro da Bélgica os comboios são frequentes e os bilhetes podem ser comprados antes da viagem nas máquinas que se encontram na Estação. Se preferirem levar já tudo marcado é acederem ao site da Belgian Rail. Os bilhetes não vêm com horário de regresso o que permite alguma flexibilidade. Para o Luxemburgo convém comprar com antecedência ou na véspera para evitar as filas na bilheteira mas mais uma vez o bilhete não indica hora de regresso.

Os preços para as cidades belgas variam entre os 14€ e os 28€ mas existem descontos para grupos e famílias numerosas. Para o Luxemburgo o valor ronda os 30€

O que comer e beber:

Os pratos mais famosos na Bélgica são sem dúvida os Mules com frites (que é como quem diz mexilhões com batatas fritas) e as Carbonnades (carne estufada com cerveja). Ambos os pratos aparecem no menu de quase todos os restaurantes belgas.

IMG_1492

Em Bruxelas, para experimentar ambos os pratos à confiança, num restaurante de boa qualidade e sem intenções de “roubar” turistas recomendo o La Brouette na Grand Place. Apesar de a localização antecipar preços altos e comida “engana turistas” o La Brouette é uma excelente surpresa e a exceção que confirma que nem todos os restaurantes localizados em zonas turísticas são maus. Aqui poderá provar ambos os pratos bem acompanhados pela cerveja belga. Uma vez que existem centenas de variedades e se não souber o que pedir, é só solicitar ajuda ao empregado.

Bruxelas tem também alguns excelentes restaurantes de comida internacional (sim, porque nem só de comida local vive uma pessoa). Para uma experiência fora do vulgar, recomendo o KoKoB, um restaurante etíope onde é mandatório partilhar e comer com as mãos. Os alimentos são servidos numa tortilha gigante e tudo deve ser comido com umas tortilhas mais pequenas que servem de talheres. A comida é gostosa e a experiência engraçada.

Na Bélgica também não vai querer perder os famosos gaufres (waffles). Os gaufres são vendidos um pouco por todo o lado, desde cafés a carrinhas de rua, mas a experiência que não vai querer perder é o Gaufre do Dandoy. É de elevar uma pessoa às nuvens de tão espetacular.

IMG_1435

Falta apenas falar de outra iguaria local, os reconhecidos e deliciosos chocolates belgas. Foi por aqui que nasceram os famosos pralinas (bombons com recheio), pelas mãos de Neuhaus, e o chocolate branco. Por isso não é de estranhar que se encontre uma loja de chocolate em cada rua. As mais reconhecidas são a Leoninas, Godiva, Neuhaus, mas existem outras mais pequenas onde também se podem descobrir verdadeiras delicias.

Bruxelas (63)

Por fim, e como não poderia deixar de ser, a cerveja. A Bélgica deve ser o país no mundo que mais variedades de cervejas vende, mais de 400?? Por este motivo, pedir uma cerveja é por si só uma experiência. Se dissermos apenas “quero uma cerveja”, seguem-se uma serie de perguntas que, para quem só conhece a preta e a loura nos deixam baralhados. No entanto, respondendo de forma assertiva recebemos em troca uma cerveja deliciosa, fresca, borbulhante e, na maioria das vezes, com um grau de alcoolemia para o qual temos que estar atentos. Existem inúmeras cervejarias espalhadas pela cidade, na sua maioria com produção própria mas a que recomendo é a À La Morte Subite, uma das mais antigas (1928) e reconhecida pela sua cerveja com cereja.

Como ir e onde ficar:

Apesar de todos os dramas a TAP ainda é um excelente opção e pode encontrar voos TAP ao melhor preço. No caso dos hotéis nós ficamos no Bedford Hotel & Congress Centre, bem central, entre as duas estações de comboio e perto do metro.

2 pensamentos sobre “Dicas para uma escapadela pela Bélgica e Luxemburgo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s