Geek dos Museus: Louvre, British Museum e Prado

A visita aos Museus é normalmente algo que ou se adora, ou é uma seca. Passar horas fechado num mesmo espaço a olhar para obras de arte parece realmente uma ideia bizarra. Quem já visitou por um dos grandes Museus da Europa – Louvre, Prado, British Museum, Galeria Uffizi, Museu do Vaticano – percebe o porquê de existirem e o porquê de despertarem o interesse e a atenção de tantos visitantes. Hoje vou concentrar-me em três dos Museus que adoro: Louvre British Museum e Prado

Museu do Louvre

O Museu do Louvre, em Paris, definitivamente um dos museus mais impressionantes onde já estive. A sua entrada triunfal marcada por uma grandiosa pirâmide de vidro de 21 metros e dimensão do próprio museu preparam-nos para uma experiência única.

A tentação quando se entra na galeria é correr em busca dessa célebre obra que é a Mona Lisa de Leonardo da Vinci. Recomendo calma até porque é provável que saia de lá com alguma desilusão sobre este assunto. O Louvre reúne obras de pintura e escultura francesa, antiguidades egípcias, gregas e orientais, pintura e escultura italiana, holandesa e muito mais.

Nomes como Donatello, Miguel Ângelo e Rembrant fazem parte da lista de vips que povoam este espaço. O Museu inclui obras como a “Vénus de Milo”, a famosa “Mona Lisa” (essa obra minúscula que, não fosse o aparato arriscava a nem dar por ela), o Escravo, a Liberdade. A lista é longa e encheria certamente muitas páginas deste blog.

Museu do Louvre, Paris

É fundamental planear o percurso com tempo para comer e descansar os pés. Percorrer o Museu do Louvre é uma grande aventura que pode demorar um dia ou um mês. Depende do tempo disponível e da forma como está disposto a aprofundar o contato com as obras-primas.

Uma coisa é certa, todo o tempo lá passado não é muito e não será, certamente, dado como perdido. Antes de terminar a visita, existe mais uma obra que não passa despercebida. A pirâmide invertida, também em vidro, que assinala a saída do Museu para a Galeria Comercial do Carrousel du Louvre

Museu do Louvre, Paris

British Museum

O British Museum, em Londres, figura certamente entre os melhores do mundo. Além de ser o mais antigo e incluir tesouros de todos os cantos da terra, possui mais de 6 milhões de peças que abrangem mais de 1,8 milhões de anos de civilização, desde a pré-história até hoje, passando pelo Egito, Grécia, Roma, Japão e Médio Oriente. E de entrada é gratuita.

British Museum, Londres

O museu inclui peças tão raras como únicas. As que mais me chamaram a atenção? O Kwakwaka’wakw, uma ave norte-americana de grande porte que servia de bigorna para partir moedas de cobre durante as cerimónias tribais de destruição de bens terrenos. O Carneiro numa Moita, um ornamento trazido de Ur na Suméria. O Gato Mumificado (quem mumifica um gato?!) do antigo Egito.

Para os mais clássicos o British Museum tem ainda múmias e sarcófagos para todos os gostos, esculturas do Pártenon, antiguidades chinesas, peças de povos indígenas de todo o mundo, moedas e medalhas, gravuras e desenhos, e muito, muito mais. Recomendo ainda que levantem o pescoço para cima quando atravessarem o Great Court, uma cobertura de vidro que abarca o centro do Museu. É uma vista impressionante.

British Museum, Londres

Museu do Prado

O Museu Nacional do Prado, em Madrid, é outro dos maiores museus do mundo. Alberga inúmeras e valiosíssimas coleções, em especial a de pintura espanhola que inclui nomes como Goya e Velázquez. Outros nomes como Rembrandt, Botticelli, Tintoretto, Rubens são outros dos muitos nomes que enchem as salas deste museu.

Um dos quadros mais famosos é provavelmente “As Meninas” de Velázquez, mas o quadro que mais me impressionou foi “Saturno devorando o seu filho” de Goya. É uma obra assustadora e impressionante ao mesmo tempo. O homem era verdadeiramente atormentado e esta obra comprova-o. Mais uma vez o tempo da visita depende do interesse, mas garanto que a impressionante coleção das obras de Goya vale a pena uma visita mais demorada.

Museu do Prado Madrid
Museu do Prado, Madrid
Museu do Prado Madrid

Esta viagem ainda agora começou. Existem tantos outros grandes museus que aqui merecem o seu lugar, uns pelas obras que guardam, outros pela história que contam do mundo, outros apenas porque são espetaculares. Todos guardam tesouros que devem ser descobertos porque cada pequeno pedaço destes espaços encerra uma mística e uma vontade de saber mais que nos transporta para outro universo. Percebe-se que sou uma geek dos museus. É verdade, não nego. Gosto de me perder nas histórias encerradas nas obras, em especial nos quadros, de perceber o que ia na cabeça dos artistas quando criaram as peças, o que queriam transmitir, que terror, medo, angústia, felicidade, alegria que queriam partilhar com o mundo. Até a enigmática Mona Lisa tem uma história para contar e o fascínio dos museus está em descobrir todas essas histórias e torná-las nossas.

Estes são três dos Museus que adoro: Louvre British Museum e Prado. Quais são os seus?

Leave a Reply