Geek dos Museus #9: O Hermitage!

Nas margens do Rio Neva ergue-se aquele que é um dos maiores, mais importantes, mais imponentes museus mundiais, com uma das maiores coleções de artes. Confesso que desde sempre reuni muita curiosidade face ao Hermitage e à sua grandiosidade, e ao vivo não defraudou minimamente.

A sua fachada e conjunto de imponentes edifícios construídos ao longo dos séculos por diferentes czares e a coleção de grandes obras de arte de nomes como Picasso, Rembrandt, Da Vinci, Rubens, Matisse, Miguel Angelo, Gaugin, entre outros são os seus principais pontes de interesse.

Durante a II Guerra Mundial, no cerco a São Petersburgo (na altura denominado Leningrado), o Hermitage foi o símbolo da resistência da cidade. Muitos dos seus trabalhadores morreram de inanição, o museu sobreviveu à destruição.

Os edifícios que constituem o Hermitage

Edifício do Estado Maior

IMG_6803.JPG

Este é um dos mais famosos monumentos arquitectónicos em São Petersburgo, construído entre 1820 e 1830. O arco majestoso é  um símbolo russo que representa o seu triunfo militar. Alberga as coleções de arte decorativa russa e europeia, pinturas e esculturas dos séculos 19 e 20, bem como a arte contemporânea (os grandes nomes da pintura internacional estão quase todos neste edificio).

O Grande Hermitage

Foi construído entre 1771-1787 por ordem da imperatriz Catarina II. Sendo maior do que o Hermitage pequeno, foi nomeado o Grande Hermitage e deveria albergar as colecções do palácio e biblioteca.

O Pequeno Hermitage

Foi o primeiro edifício na Rússia construído especialmente para abrigar as coleções do museu. A entrada para o museu é acentuado com um pórtico magnífico apoiado pelas figuras Atlantas. O prédio também é decorado com estátuas e baixos-relevos que representam artistas famosos, arquitetos e escultores do passado.

O Palácio de Inverno

IMG_6805.JPG

O mais importante e monumental edificio, o elegante palácio de estilo barroco de meados do século XVIII. O palácio é um brilhante exemplo da arquitetura decorativa russa. Durante 150 anos, o palácio serviu como residência imperial. Em novembro de 1917, após a Revolução de Outubro, foi declarado um museu.

O interior do Palácio de Inverno

O interior do Palácio de Inverno é  magnifico. Destaco 0 Hall de S. George (ou sala do Trono), a capela, o corredor de Rafael, copia da galeria do Museu do Vaticano, com mais de 50 cenas bíblicas, a sala azul, entre muitas outras, onde a riqueza dos mármores, das cores, dos dourados, dos frescos nos tetos, das peças de mobiliário expostos fazem parte da história e da cultura russas.

25957151183_f9698ba539_o26560095215_f6b88c5de1_o

IMG_6851

A coleção

A coleção é vasta e mesmo com a visita minimamente programada acabamos por não querer sair do Hermitage sem ver as estrelas da coleção. O museu inclui entre outras, salas (edificio Estado-Maior) com obras de Claude Monet, Cézanne, Gauguin, Renoir e van Gogh, as Madonas de Leonardo da Vinci (sala 214), a escultura do Homem Agachado de Miguel Ângelo (sala 230), obras de Rubens (sala 247) e Raphael (sala 229). Entre as obras principais destacam-se a Madonna Litta (da Vinci), a Dança (Matisse), As três mulheres (Picasso), No Jardim (Renoir), Mulher segurando Fruta (Gauguin), entre outras.

henri_matisse_1909-10Leonardo_da_Vinci_attributed_-_Madonna_LittaPablo_Picasso,_1908,_Trois_femmes_(Three_Women),_oil_on_canvas,_200_x_185_cm,_Hermitage_Museum,_Saint_Petersburg

Algumas dicas para facilitar a visita:  

  • Comprar a entrada online para evitar as filas;
  • Dada a dimensão do museu planear antecipadamente o que ver é muito importante para não passar lá o dia todo (que pode ser uma opção).
  • Utilizar as uma das 2 app que o Museu disponibiliza para ios e para android (museu e audio guia)

Deixar uma resposta