12 locais a não perder em Hanoi

Hanoi é uma cidade entre a tradição e a modernidade e uma das mais antigas capitais do mundo, fundada em 1010 AC. Localizada nas margens do Rio Vermelho, nasceu e cresceu à volta de uma cidadela, cercada de diferentes guildas comerciais que serviam a corte. Esta zona é o atual “centro histórico”, onde agora bate o coração da cidade. Mais tarde, com a chegada dos franceses no século XVI, partes da cidadela foram destruídas para criar espaço para o Bairro Francês. Em 1954, foi proclamada a capital do estado independente do Vietname. Nos anos 1960 foi arrastada de forma violenta para a Guerra do Vietname (ou Guerra Americana como é conhecida localmente). Atualmente a capital do Vietname procura compensar o tempo perdido durante 21 anos de guerra.

Hanoi.png

O que visitar: 

As ruas de Hanoi são o espelho desta história atribulada, preservando resquícios arquitetónicos das colónias francesa e chinesa. A cidade está dividida em diferentes bairros, cada um com as suas características únicas como o Old Quarter, onde a cidade nasceu e de desenvolveu de forma caótica e simultaneamente organizada (parece um paradoxo mas existem ordem no meio do caos); o Distrito de Ba Dinh, onde se encontra a imponente e histórica cidadela; o distrito de Hoan Kiem, a zona mais glamourosa da cidade, onde encontramos a ópera e hotéis famosos como o Sofitel Legend Metropole;  e o Quarteirão Francês, zona de arquitetura tipicamente colonial.

1.Old Quarter

O Old Quarter, ou a zona histórica, é a alma da cidade e o seu principal ponto de atração. As suas ruas são caóticas, repletas de vendedores de calçada (sim, porque as calçadas por estes lados servem para tudo menos para os peões 🙂 ), de milhares de scooters, de restaurantes, bares e cafés. Vende-se um pouco de tudo: especiarias, café e chá, roupas, doces e eletrónica. E esta diversidade espelha-se nos nomes das ruas, atribuídos de acordo com as diferentes guildas comerciais que ali se instalaram. Começando  quase todas com a palavra Hang, que significa mercadoria, a palavra seguinte faz referência ao produto comercializado, como por exemplo Hang Gai ou Rua da Seda.

Vietname_Hanoi (23).jpg

Outro ponto de interesse no Old Quarter é o Templo Bach Ma, considerado um dos mais antigos da cidade. Foi construído no século XI pelo Imperador Ly Thai To para homenagear um cavalo branco que o guiou para este local, onde acabou a construir as muralhas da cidade. Bach Ma ficou então a ser o guardião do espírito da cidade. O templo é um local mágico e que convida à meditação, um espaço de silêncio e tranquilidade no meio de um bairro que nunca para.

Vietname_Hanoi (24)

2. Mercado Dong Xuan

O mercado Dong Xuan, junto ao Old Quarter, é o maior e mais antigo mercado coberto de Hanoi. É um espaço singular e cheio de energia, onde estar parado não é uma opção. Ali é possível comprar de tudo, desde produtos frescos (e vivod), a roupas, presentes, artesanato local, acessórios, flores e eletrónica. Tem ainda diversos espaços de refeição ou café, onde é possível provar a comida local a qualquer hora do dia.

Os mercados são sempre os espaços que ricos que podemos  visitar, sobretudo os asiáticos. A confusão das “bancas”, os produtos, muitos dos quais nem sabemos o que são, dão uma ideia da gastronomia local, os cheiros pungentes e nem sempre agradáveis são uma experiência e a forma como os produtos são comercializados permitem emergir na realidade local. Por este motivo, Dong Xuan Market é visita obrigatória para quem procura conhecer um pouco melhor o estilo de vida de Hanoi.

Vietname_Hanoi (18)Vietname_Hanoi (19)Vietname_Hanoi (20)IMG_0346

3. Lago Hoan Kiem e o Templo Ngoc Son

Umas ruas abaixo entramos no Distrito Hoan Kiem, que vive e respira à volta do lago com o mesmo nome. Segundo a lenda, o imperador Ly Thai recebeu uma espada mágica que o ajudou a derrotar a dinastia Ming chinesa e a instalar-se neste território. Mais tarde uma tartaruga gigante apareceu-lhe e exigiu a espada de volta, refugiando-se de seguida nas águas do lago e devolvendo a espada aos seus donos divinos. Daí surgiu o nome do lado Ho Hoan Kiem (Lago da Espada Devolvida). Hoje a ‘Torre da Tartaruga’ está localizada no meio do lago em memória desta lenda.

A zona envolvente ao lago é ponto de encontro para praticantes de Tai Chi, namorados, vendedores de frutas e outras iguarias locais. Relativamente tranquila face à loucura e barulho geral da cidade, muitos aproveitam esta zona para relaxar. Ao domingo as ruas circundantes são cortadas, abrindo espaço para uma larga zona pedonal onde as crianças correm livremente, os grupos de jovens sentam-se a jogar ou a tocar e há atividades para toda a família, enchendo a área de animação.

No lago encontramos ainda o Templo Ngoc Son, um pagode localizado no centro de uma pequena ilha. O templo atrai muitos visitantes e foi construído em homenagem ao líder militar, Tran Hung Dao. Dentro do pagode há um grande busto de bronze e outras divindades, altares dedicados a Tran Hung Dao, artefactos antigos e um espécime preservado de uma tartaruga gigante encontrada no lago e que pesa 250kg. A ilha é conhecida como a Ilha de Jade e é acessível pela icónica Ponte Huc ou Ponte do Sol Nascente, uma encantadora ponte de madeira pintada de vermelho. O lago e o templo são provavelmente os lugares mais famosos da cidade de Hanói.

Vietname_Hanoi (7)Vietname_Hanoi (25)Vietname_Hanoi (26)Vietname_Hanoi (27)

4. Ópera de Hanoi,

Bem perto do Lago Hoan Kiem e da Praça da Revolução de Agosto encontra-se a Ópera de Hanoi, um glorioso edifício neoclássico, inspirado na ópera de Paris. A sala é uma atração mundial para as maiores performances de ópera com o seu interior glorioso, com 600 lugares. A Ópera de Hanoi é o maior teatro do Vietname e uma referência na cidade.

Vietname_Hanoi (17).JPG

5. Catedral de São José

A catedral de São José é uma igreja quase siamesa da Notre Dame de Paris, com as suas duas torres gémeas. O altar elaborado e os vitrais são alguns dos aspetos que não nos deixam indiferentes. Este é o centro da vida católica em Hanoi.

Vietname_Hanoi (2).jpg

6. Cidadela Imperial

No distrito de Ba Dinh encontramos a imponente Cidadela Imperial de Thang Long, Património Mundial da UNESCO desde 2010. A Cidadela  foi o centro do poder militar vietnamita durante mais de 1000 anos e centro político durante 13 séculos consecutivos. Aqui se instalou a capital do Vietname durante oito séculos. Entre outros pontos de interesse destacam-se a Torre da Bandeira, uma fortaleza de pedra com 40m de altura com amplas vistas da Praça Ba Dinh e do Centro da Cidade, e as gigantes escavações arqueológicas, contíguas aos palácios. Os bunkers militares, construídos durante a “Guerra Americana” – com mapas e equipamentos de comunicação da década de 1960 localizados no edifício D67, centro de comando durante a Guerra, são talvez os espaços mais visitados e os mais curiosos, uma vez que ainda se mantêm praticamente inalterados. Parece que a qualquer momento entraram por ali os generais responsáveis pelo centro de operações para organizar o próximo ataque militar a uma qualquer base americana.

Vietname_Hanoi (6)Vietname_Hanoi (21)Vietname_Hanoi (22)

7. Mausoléu de Ho Chi Minh

O  Mausoléu de Ho Chi Minh é uma peça gloriosa e  principal foco de atenção da Praça Ba Dinh. Local de descanso final de Ho Chi Minh, o líder mais icónico e popular do Vietname, conhecido pelo seu povo como ‘Tio Ho’. O seu corpo aqui sepultado (parece que contra a sua vontade) e é atualmente atração turística para os milhares de visitantes de Hanoi e ponto de homenagem e oração de milhares de vietnamitas que aqui se deslocam anualmente.  A construção do mausoléu foi inspirada no mausoléu de Lenine, na Praça Vermelha, em Moscovo,  cujo objetivo era assemelhar-se a uma flor de lótus. Quase ninguém consegue encontrar semelhanças mas o mausoléu permanece um importante local de peregrinação.

Vietname_Hanoi (8).JPG

8. Pagode Um Pilar

O Pagode Um Pilar é um dos mais importantes templos de Hanoi. Originalmente construído pelo Imperador Ly Thai Tong, está associado a uma lenda na qual o imperador, que não tinha até então um herdeiro, sonhou com a visita da Deusa da Misericórdia que lhe entregou um filho do sexo masculino. Ly Thai Tong casou-se então com uma jovem com quem teve o tão desejado filho e herdeiro. Como forma de expressar sua gratidão, construiu este pagode em homenagem à Deusa. Construído de madeira num um único pilar de pedra, o pagode foi projetado para se assemelhar a uma flor de lótus, símbolo da pureza, que se ergue do lago enlameado.

Vietname_Hanoi (9).JPG

9. Templo da Literatura.

O Templo da Literatura é o mais esplendoroso de Hanoi e um raro exemplo arquitetura tradicional vietnamita que se conseguiu manter de forma quase impecável até aos nossos dias. Honra os melhores estudiosos do Vietname e é dedicado a Confúcio, pensador e filosofo chinês cujos pensamentos deram origem a um sistema filosófico conhecido por confucionismo. Foi ainda local de nascimento da primeira universidade do Vietname, cuja admissão era exclusiva os que nasciam em famílias nobres. Só em 1442 se tornou mais igualitária e passou a receber estudantes talentosos de todo o país. Por este motivo, o Templo é essencialmente um lugar de estudo e não tanto um espaço religioso. O complexo tem cinco pátios, dois com jardins paisagísticos, o terceiro com uma lagoa conhecida como Poço da Claridade Celestial, o quarto pátio é o Pátio Sábio, possui uma estátua de Confúcio e uma casa de cerimónias, e o último pátio é Thai Hoc, onde se localizam o grande tambor e a torre do sino. Os jardins imaculados são ricos em árvores antigas e considerados um lugar sereno no qual os alunos podem relaxar. Existem estátuas de pedra e inscrições espalhadas por todo o templo, como as estelas de tartarugas que tem inscritos os nomes de estudiosos ilustres que por ali passaram.

IMG_0278Vietname_Hanoi (11)Vietname_Hanoi (12)Vietname_Hanoi (13)

10. A rua do comboio

A separar o Bairro de Ba Dinh e o Bairro Francês, meio escondida, cruzamos pela rua do comboio. Local de passagem obrigatória, para observar o quão junto das casas o comboio passa. As populações fazem a sua vida normal, integrando a linha como extensão das suas habitações, servindo inclusive para jardim e armazém. Alguns cafés fizeram desta efeméride diária o seu ganha pão, instalando as mesas mesmo no meio dos carris. O comboio passa duas vezes por dia durante a semana, pelas 19h e pelas 21h, e quatro vezes ao fim-de-semana, as 10h, 14h, 19h e 21h. A experiência é engraçada, até porque o comboio apita ferozmente é passa veloz, sem abrandar à passagem deste bairro peculiar.

Vietname_Hanoi (3)Vietname_Hanoi (4)

11. Quarteirão Francês

Bairro onde a presença colonial é ainda bastante evidente nas construções que se assomam de ambos os lados da rua. É uma zona onde se cruzam diferentes épocas da história do Vietname. Aqui encontramos o Museu de Hoa Lo, um local estranho que abriga o que restou da antiga prisão de Hoa Lo, destruída para dar lugar a um mamarracho de prédio que atualmente lhe faz sombra. Esta prisão foi ironicamente apelidada durante a Guerra do Vietname de “Hanoi Hilton”, pelos pilotos americanos  que eram aqui aprisionados. O nome deriva do facto de os mesmos serem tão bem tratados na prisão que a comparavam a um hotel de luxo. Entre estes pilotos destaca-se um nome mais ou menos famoso, o do senador John McCain (candidato republicano à presidência dos EUA em 2008). O traje de voo de McCain, juntamente com uma fotografia do seu resgate do lago Truc Bach depois de ter sido abatido em 1967, fazem parte da exposição. O vasto complexo prisional foi construído pelos franceses em 1896 e foi uma das maiores prisões na colonialista Indochina Francesa. No entanto, nunca foi uma prisão muito bem-sucedida, tendo escapado centenas de prisioneiro ao longo dos anos, muitos deles através de grades de esgoto, também incluídas na exposição.

Vietname_Hanoi (15).JPG

12. Pagode do Embaixador

O Pagode do Embaixador é considerado o centro oficial do budismo em Hanoi. Foi estabelecido como ponto de paragem para dignitários budistas e é atualmente um dos mais populares pagodes da cidade, atraindo dezenas de seguidores.

Como chegar e como se deslocar:

A principal forma de chegar é de avião, seja de fora do Vietname ou mesmo que vindo de outra cidade deste enorme país. Dada a dimensão da cidade a melhor forma de chegar do aeroporto ao local de alojamento é alugando um táxi ou solicitando um transfer no hotel. Em ambos os casos é fundamental definir o preço logo à partida para não haver surpresas. O valor de transfer do Hotel, ida e volta, ficou em 32€.

As deslocações na cidade são uma combinação de diferentes meios, dependendo da zona onde se encontram. Andar a pé para percorrer toda a cidade é quase impossível, dada a sua dimensão. Os taxis ou os taxi-bicicleta são uma boa opção, assim como as moto táxi. Cada percurso, mesmo os mais distantes, rondam os 3€ a 5€.

 

One thought on “12 locais a não perder em Hanoi

Deixar uma resposta